Um olhar (prendado) para SOBRÃO

Tinha:
Tipografia, loja de fazendas, alfaiate, sapateiro, ferrador tamanqueiros, pirotecnia, casa funerária, mercearias, drogaria, cesteiros, fuseiros e roqueiros, médico, farmácia, dentista, transportes públicos - carreira - Sobrão - Freamunde - Porto, curandeiras, ferreiro, carpintaria, oficinas de cadeireiros e outros móveis, professores e escola, fotógrafo, barbearia, agricultores com armazenagem e venda de produtos agrícolas, serração de madeiras, moagem, chapeleiro e costureiras, bispo (que chegou a viver na parte mais antiga da minha casa), regedor... e até missa aos Domingos havia na capela.
Hoje naturalmente e evolução das questões da vida impuseram alterações profundas não deixando nunca de atestar o orgulho das suas gentes pelo marco histórico que fez elevar Sobrão para gáudio de quem outrora concentrava um verdadeiro centro de interesse e visita.
Hoje, não obstante a força empresarial de quem cá vive e investe, Sobrão é sobretudo um ponto de passagem tendo consciência de que já se está às portas da cidade. Por isso vou apenas referir um dos pontos negros que se refere ao trânsito.
Um olhar (prendado) para SOBRÃO Sobrão - outrora sala de visitas da vila de Paços de Ferreira, agora cidade, ergue-se no entusiasmo de justificar o seu estatuto um pouco abandonado mas nunca por nunca perdido. Antigamente até se dizia... "quem vivesse em Sobrão nem precisava de lá sair para ter uma vida de qualidade11.
Tinha:
Tipografia, loja de fazendas, alfaiate, sapateiro, ferrador tamanqueiros, pirotecnia, casa funerária, mercearias, drogaria, cesteiros, fuseiros e roqueiros, médico, farmácia, dentista, transportes públicos - carreira - Sobrão - Freamunde - Porto, curandeiras, ferreiro, carpintaria, oficinas de cadeireiros e outros móveis, professores e escola, fotógrafo, barbearia, agricultores com armazenagem e venda de produtos agrícolas, serração de madeiras, moagem, chapeleiro e costureiras, bispo (que chegou a viver na parte mais antiga da minha casa), regedor... e até missa aos Domingos havia na capela.
Hoje naturalmente e evolução das questões da vida impuseram alterações profundas não deixando nunca de atestar o orgulho das suas gentes pelo marco histórico que fez elevar Sobrão para gáudio de quem outrora concentrava um verdadeiro centro de interesse e visita.
Hoje, não obstante a força empresarial de quem cá vive e investe, Sobrão é sobretudo um ponto de passagem tendo consciência de que já se está às portas da cidade. Por isso vou apenas referir um dos pontos negros que se refere ao trânsito.


... então aqueles cruzamentos unidos por uma garganta da ponte... e os utentes que se obrigam a ultrapassá-la pelo seu pé são transformados em autênticos malabarístas ou equilibristas para não serem arrastados contra os muros laterais e por vezes (muitas vezes) o acidente acontece.
Porventura um estudo em que se pudesse inserir uma rotunda abrangente vendo-se melhorado o seu aspecto de traço paisagístico com o avanço sobre o rio e zonas verdes envolventes tendo ao seu centro um repuxo de água luminoso ou algo que identifique o seu traço cívico e cultural poderia merecer um aturado estudo numa primeira abordagem.
Sendo impossível esta primeira hipótese então procurar fazer-se uma intervenção no alargamento da ponte com implementação de uma passagem para peões e colocação de semáforos para regularização do tráfego e... já agora a reposição dos abrigos para apoio a quem tem de aguardar a céu aberto pelos transportes públicos. Para não falar no jardim de St.° Ovídio e no abuso de painéis publicitários que cortam aquela máxima que é apanágio da nossa terra - "deste lado o sol aquece e a paisagem tem mais encanto."
Mas como atrás referi reitero total confiança no poder autárquico no sentido de prendar sobrão... com oportunidade e... justiça.